23 de outubro de 2007

Tropa de Elite

Tropa de Elite.

O roteiro do filme Tropa de Elite é baseado em depoimentos de pessoas que fazem ou fizeram parte do Batalhão de Operações Especiais, o chamado Bope ou, popularmente (e assustadoramente) conhecido como "Caveirão".


A história gira em torno do Capitão Nascimento, vivido de forma impecável por Wagner Moura (mais conhecido como Olavo, da novela Paraíso Tropical). Nascimento é o capitão da polícia especial do Rio de Janeiro, dita no filme como “melhor” do que o exército israelita. Através de sua experiência e ideais ele explica a função de sua organização, que seria "consertar os erros que a polícia normal faz", ainda que de forma pouco ortodoxa. Porém, essa não é a única base que ele se sustenta. Com um filho para nascer, o capitão precisa encontrar um substituto para o cargo - é ai que aparece os aspirantes Neto (Caio Junqueira) e André Matias (André Ramiro), dois jovens policiais que têm como objetivo fazer a coisa certa dentro da polícia. Em meio à selva assustadora da controversa cidade maravilhosa, a trama desenvolve sua crítica de maneira nada sutil, jogando diante de todos uma ficção muito próxima da realidade. Segundo o diretor José Padilha, na verdade, Tropa de Elite é o retrato fiel da atuação do BOPE, enquanto o roteirista e ex-capitão do batalhão, Rodrigo Pimentel, prefere acreditar que nem tudo é o que parece.
Afinal de contas de quem é a culpa por essa situação? Esta e outras perguntas são induzidas pelo roteiro e deixam que o espectador tire suas próprias conclusões, através das seqüências de cenas fortes mostradas durante todo o filme.


Padilha relaciona a vida desses três homens distintos entregando não só a indecência criminal do Estado, como também dissecando a corrente de corrupção. Tropa de Elite tem excelentes cenas de ação e um excitante repertório de músicas, mostrando como o cinema brasileiro está evoluindo, graças à profissionais como os que estão por trás desta película. Ainda assim, o Oscar continua sendo apenas um sonho, já que o filme não passou pelos votos da comissão julgadora por conter cenas de tortura. Contudo, a repercussão e as controvérsias do tema abordado afetaram e continuam afetando incansáveis críticas, além de levar mais de um milhão de espectadores às salas de cinema de todo o país, mesmo depois da polêmica pirataria que sofreu, antes de sua estréia oficial, mas que, diga-se, não ofuscou seu brilho nas telonas.

Um comentário:

NarFC disse...

Ó-T-I-M-O

Sem palavras pra descrever o filme ... e o Wagner Moura tá perfeito no papel do Capitão Nascimento...
Cinema Nacional progrendindo e muito nos últimos tempos!!!


Recomendo pra todo mundo.



"PEDE PRA SAIR! PEDE PRA SAIR!"