3 de setembro de 2009

Viagem a Darjeeling

Amoooo roadie movies!! Filmes pé na estrada pra mim são sensacionais! Se tiverem aquela carinha independente ainda, ai meu Deus, já ganhou!

Agora faça a soma: pé na estrada + irmãos problemáticos + roupas coloridas + trilha da hora + Índia = Viagem a Darjeeling (The Darjeeling Limited - EUA 2007). O filme leva o nome do trem fictício onde a viagem de reconciliação dos irmãos Whitman começa. Deixa eu contar como é: São três irmãos que se reecontram 1 ano após a morte do pai. Nem é preciso dizer que o relacionamento deles é bem manjado né, ou seja, super problemático. Cá pra nós como todo relacionamento entre irmãos né, super interessante a convivência entre esse seres, é delicioso na verdade.

Então, Francis (Owen Wilson) é o mais velho, o cara bem-sucedido, mais experiente que resolver armar uma viagem pela Índia com os dois irmão para encontrar a mãe. No caso os irmãos são sabem que o final da viagem seria o abraço da mamãe (Angelica Houston) que está nas montanhas do Hiamalaia em uma missão católica agora e nem foi ao enterro do ex-marido.Temos também Peter (Adrien Brody) que vai ser pai e ficou meio "viciado" em objetos pessoais do falecido para guardar de recordação e o caçula Jack (Jason Schwartzman) que está passando por uma fase complicada com a namorada.

O diretor é o Wes Anderson e, se você gosta de acompanhar e comparar as obras dos direores (como eu faço) vai entender o que eu vou dizer. Em todos os filmes que vi desse cara, os personagens são riquíssimos e muito bizarros. Cada um é um filme novo, diferente, cheio de informação. Para cada personagem, um roteiro. Conforme embarcamos no trem a gente passa a conhecer melhor esses três. Francis quer desesperadamente voltar a falar com os irmãos, nesse processo muitas cicatrizes são expostas. Descobrimos, por exemplo, que Francis espatifou a moto numa tentativa de suicídio (a vida imita a arte, na real o ator tentou suicídio também), que Peter está extremamente inseguro com a paternidade e que Jack não se entende mesmo com a namorada. Isso tudo foras as situações típicas de irmão mesmo, aquelas coisas de um contar algo pra um irmão e não contar pro outro, falar mal e mais um monte que eu tenho certeza vocês que têm irmãos já fizeram (ou fazem né!).

As cores vibrantes das roupas usadas pelos três são ótimas também, dão aquela cara indie ao filme e já carregam a assinatura de Wes Anderson.

Quem se aventurar, tenho certeza de que vai se identificar com um dos três irmãos. Não tem como passar batido.Eu vou rasgar seda mesmo pro diretor sabe, descaradamente. Se a gente fosse desmembrar cada um dos personagens, teríamos 3 filmes totalmente diferentes. Isso é fato. Na minha humilde opinião , Wes é um dos mais criativos diretores da atualidade. Ele sabe como carregar de emoções seus personagens. Não sei, nesse filme apesar de serem distintos todos carregam uma certa melancolia sabe, encantador. E a escolha dos atores não poderia ser melhor. No fim é uma tragicomédia sobre relacionamentos familiares. A mãe deles é outra doida, não fica atrás.

Ah, ainda por cima tem um outro recurso que eu a-do-ro! Aquelas viagens nas lembranças dos personagens, o filme não segue uma ordem cronológica. A gente está vendo uma situação, de repente somos levados à outra época, quando o fato narrado ocorreu. Muito legal!

Enfim, pra quem não conhece nada desse diretor minhas dicas são: Os Excêntricos Tenenbaums e A vida marinha de Steve Zissou.Vocês vão ver que Viagem é cheio de momentos únicos, situações absurdas e diálogos muito cômicos. Para os mais curiosos, há um curta (nos extras do DVD) com a história Hotel Chevalier que conta melhor a história de Jack e sua namorada (Natalie Portman - sensacional).

Super recomendo minha gente!

Nota: Pelo amor de Deus, se alguém assistir Viagem a Darjeeling me explique o que o Bill Murray está fazendo lá! Eu juro que não saquei qual é a dele nesse filme... juro que não entendi. Me avisem!

beijos

4 comentários:

N. disse...

DEMAAAIS ... valeu muito a pena ficar acordada até super tarde assistindo esse filme.

Muito bem retratado a relação irmão ... essa história de dar presente e tomar, falar em nome do outro ... rsrs

Tb não entendi qual a do Bill no filme o.O

Anônimo disse...

O legal desse filme é que foge do estilo pé na estrada comédia/convencional. Os personagens são extremamente autênticos e isso proporciona um clima cômico/melancólico.
Ótima dica sócia! E já que você trouxe o assunto, aproveito para relembrar o inesquecível Férias Frustradas, meu preferido no estilo Road.

Bruna

Robson disse...

Definitivamente 2009 é o ano da Índia. Filmes, novelas, séries e tudo mais pra deixar qq um com mais vontade de conhecer as produções de bollywood.
Já quero muito ver este filme!
bjo,
Robson

joaopj disse...

Esse filme é chapado! Incrível como eu durmi três vezes antes de conseguir assistir até o final, mas isso de forma nenhuma tira os méritos do filme.

Além da ordem não cronológica... destaque também para as transições de cena com o trem em movimento, tipo muda a cena e os personagens passando de um vagão para o outro, chapadissimo, louco também como os personagens conseguem ser cômicos sem piadinhas idiotas.

O Bill Murray no filme deve ter sido algo do tipo: O Bill Murray tava passando no set de filmagens e o Wes disse pra ele " Ei já que você tá de bobeira ae faz uma aparição aqui" os dois consumiram algum tipo de droga juntos e chegaram aquele resultado.

rs.

De qualquer forma o filme é cabuloso, e a Natalie Portman, vixe não vou nem comentar...
Porque não quero apanhar em casa.rs