25 de fevereiro de 2009

As 5 maiores chapações do cinema

Olá amigas do Cineopse.
Antes de mais nada gostaria de pedir licença e expressar a minha honra em participar desse site. As listas estão muito boas e confesso que me fizeram refletir sobre alguns assuntos tipo: canto, danço e bato palmas predileto, caramba, acho que nunca parei pra prestar atenção no canto danço e bato palmas de um filme, mas confesso que em determinados momentos eles realmente emocionam, não é?
Romances prediletos também. Essa lista tenho certeza que as meninas poderiam fazer não só 5 mas 50 filmes que ainda assim não caberiam todos.
Gosto bastante do canto danço e bato palmas e também adoro romances, mas o que me atrai mesmo são as “chapações” no cinema, eu sei você vai se perguntar: chapações, como assim?
Existem várias formas de chapação no cinema, se liga!

Drogados
1 - Candy (Candy/ 2006/ Neil Armfield) – Um casal viciado em heroína se afunda e nem o inferno parece ser o suficiente para eles. Pode parecer clichê um filme sobre drogas, mas esse consegue ser um romance regado de drogas e não só um relato de dependentes químicos. Não dá pra saber se o mal é causado pelas drogas ou pelo “amor-dependência” do casal protagonista. Destaque para atuação de Health Ledger, o cara sempre apavorava.
Piração
2 - Ken Park (Ken Park / 2002 / Larry Clark e Edward Lachman) – Esse filme é o que chamo de piração do cineasta. A primeira cena mostra um adolescente pegando o seu skate, mochila e se dirigindo até uma pista que se chama Ken Park. Ele dá um rolezinho, vai até o centro da mini-ramp, tira da mochila uma filmadora, uma pistola 765, estoura os miolos e ainda registra tudo isso. Me diga não é uma piração?
O filme é chocante e tem várias cenas de sexo, sexo e mais sexo. Me pergunto como o Larry Clark fez pra filmar aquela molecada toda transando e não ser preso. Ah! Larry Clark também dirigiu Kids sucesso nos anos 90.

Que droga esse cara tomou?
3 - Império dos Sonhos (Inland Empire / 2006 / David Lynch ) – Esse talvez seja o filme mais chapação de todos. É David Lynch e não precisa falar mais nada, já que o sobrenome desse cara é piração. Em o Império dos Sonhos não é necessário morte e nem sangue, o cara consegue causar pânico só com a cara de louco dos personagens e efeitos sonoros de arrepiar, sempre que assisto um filme de David Lynch me pergunto que porra de droga esse cara tomou, será que só eu tenho essa impressão?

Fala Sério
4 - Quero ser John Malkovitch (Being John Malkovich / 1999 / Spike Jonze) – Imagina um cara que trabalha em casa fazendo bonecos de cera e ninguém o leva muito a sério. Ele então resolve arrumar um trampo de arquivista. Logo no primeiro dia de trabalho avisam que o escritório é no andar 7 e ½ e que ele precisa trabalhar abaixado o tempo todo. Eis então que o novo funcionário descobre um túnel que o leva para dentro da cabeça do John Malkovitch e de lá de dentro ele começa a controlá-lo. É chapação ou não é? Pra mim isso tem nome: Spike Jonze.

Como assim? Sai da cama
5 - Na Cama (Em La Cama / 2005 / Matías Bize) – Esse filme tem como único cenário uma cama de motel, onde os protagonistas Bruno (Gonzalo Valenzuela) e Daniela (Blanca Lewin) passam os 85 minutos do filme. Eles se conheceram poucas horas antes em um café, e sobre a cama eles fazem amor, conversam, falam sobre seus anseios, medos, inseguranças, dúvidas e esperanças, sempre dentro do quarto. No fim, fica claro que os dois já estão íntimos e nós telespectadores nos sentimos próximos deles também. Pena que ao amanhecer tudo se acaba! Impressionante como o filme prende a atenção.

É isso amigas, essa foi minha lista e se quiserem entender um pouco mais da minha chapação podem me visitar no http://www.sitedafirma.blogspot.com/

Por JoãoPJ

3 comentários:

La Firma disse...

um que esqueci de colocar e que caberia nessa lista fácil, fácil é o brasileiro cama de gato, chapação total.

NarFC disse...

Chapação total mesmo =)

Leila Ferraz disse...

Sen-sa-cio-nal!!

João é "bão" tê-lo por aqui cumpadi!

Mandou muito bem!!!!