4 de julho de 2012

O Espetacular Homem-Aranha

Confesso que estava bem receosa em relação ao reboot do Homem-Aranha. Afinal eu bem que ia com a cara do Tobey Maguire, curti a direção do Sam Raimi e acabei me acostumando à eles (apesar de detestar o capítulo final da trilogia). Dito isso, é justificável meio receio quando ouvi que um novo aracnídeo estava chegando por essas bandas!

Alegria na terça-feira quando fui convida para prestigiar a pré-estreia da tão aguardada releitura: O Espetacular HOmem-Aranha (The spectacular spider man, EUA 2012). Mas vamos logo ao que interessa.
O início a gente conhece Peter Parker, menino órfão, mora com os tios, é zuado pelos amigos, nerd e tem uma paixonite aguda por uma colega. Lá pelas tantas é mordido por uma aranha e se transforma em super herói.Nesse meio tempo vai descobrindo seus poderes e curtindo eles. E não, o filme não parte da fase adulta de onde o terceiro longa de Sam Raimi parou.

Ok? Não! A nova versão vai mais fundo na história do nosso aracnídeo predileto. Descobrimos que são os misteriosos pais de Parker, qual o envolvimento do pai dele, Richard Parker (Campbell Scott) com a Oscorp. Aliás essa fixação com a busca em descobrir as várias faces do pai é que dá o tom do filme. 

Fora isso temos Peter Parker (Andrew Garfield). O cara mandou muito bem! Tem algo de novo nesse nerd, não mais aquela aura de bobão. Ele é "moderninho" te até um pouco de atitude e muito carisma. Outra coisa legal?  Parker criou os próprios lançadores de teia, como no gibi, ao invés de produzi-la biologicamente. Na minha visão o subidor de paredes ficou mais humano.

Acompanhamos os tombos, as bolas foras e o primeiro amor que não foi por Mary Jane Watson! Nos quadrinhos a primeira a balançar o pobre coraçãozinho de Parker é Gwen Stacy (Emma Stone) a mesma do filme.

Passada toda a introdução o longa de Marc Webb (do magnífico 500 dias com ela) nos brinda com o cabeça de teia em muita ação e tensão também. Tem algo de bem maduro nas relações entre os personagens, acredito que seja uma contribuição de Webb que não tinha no currículo (até então) nenhum filme de ação assim.

Ah sim, não podemos esquecer do vilão! Um cientista frustrado pela perda de um braço, com um histórico bem nebuloso com pai de Parker também, que tomado pela ambição se transforma uem um lagartão horroroso querendo destruir a cidade (não, não é Cloverfield). O tal do Dr. Curtis (Rhys Ifans) é bem estranho mesmo.

Tudo isso pra dizer que não há receio. O filme surpreende, tem ação, o protagonista convenceu e , melhor que isso, a produção saiu do óbvio e consegue dar prazer ao espectador. Com certeza muitos discordarão de mim mas, me conforta pensar que outros tantos concordarão. Afinal, 10 anos depois da bem-sucedida trilogia do aracnídeo foi muita ousadia dos estúdios e do produtor Avi Arad (o mesmo dos primeiros) se arriscar em um novo começo.

E mantendo a tradição, Stan Lee dá o ar da graça no longa. Um fofinho esse gênio!

Nota importante: aos fãs do quadrinho me perdoem a ignorância. Minha opinião é baseada nos filmes hein. HQ ainda não é muito a minha praia.

Vejam depois e voltem pra contar!
beijos

2 comentários:

Giz-kun disse...

Ótimo review Leila o/
Spider-man é meu super-herói favorito e qualquer trabalho envolvendo o cabeça de teia é de se chamar a atenção... Preciso assistir logo esse filme XD

*GuTeRa* disse...

Sensacional o blog Leiloca...o texto me deixou ainda mais a fim de assistir o Estacular Spidey!!! No trailler me pareceu muito melhor do que a pataquada da famigerada trilogia.