3 de agosto de 2009

O cineopse dá a dica!

E vejam só que engraçado, a gente está careca de saber que, filme americano aqui bomba! Não importa se é ruim ou não, bastou enrolar a língua que vira sucesso. Diante disso, muita coisa boa nacional acaba passando em branco por aqui.
Os mais atentos e de mente mais aberta vão se lembrar do levante do cinema tupiniquim. Produções que começaram a dar um sinal do que estaria por vir nas nossas telinhas. Quem se lembra de Carlota Joaquina (1995) sabe disso. Já era um aviso de que estávamos entrando nos eixos e nos preparando para conquistar novos fãs.

E de lá pra cá a gente só cresceu.As produções melhoraram,diretores surgiram,atores foram descobertos, roteiristas de destacaram e fomos nos tornando "experts" na arte de contar histórias.
Mais legal que ver o filme, é saber o que e quem o faz. Juro que isso não é coisa de nerd ou gente mala! Todo o processo, da criação até o lançamento, é super interessante, é encantador, parece até outro mundo. Por isso eu sou uma apaixonada declarada pelos "extras" dos filmes. Bastidores então, nem me digam... fazem minha cabeça!

O universo do filme "O contador de histórias" (O contador de histórias, Brasil 2009) estará em exposição no Shoppping Pátio Higienópolis, em São Paulo. Deixa eu explicar. No pátio do shopping objetos usados em cena pelo elenco da produção, estarão ali para quem quiser ver. Será um grande set de filmagem, um deleite para os olhos dos cinéfilos.O filme conta a história de Roberto Carlos Ramos (Marco Ribeiro,Paulinho Mendes,Clayton Santos) , que aos seis anos foi deixado pela mãe em uma entidade assistencial recém criada pelo governo. Considerado um menino de rua irrecuperável, Roberto Carlos se transformou em um dos dez melhores contadores de histórias do mundo.

A realidade das casas de recuperação no Brasil a gente conhece e , por isso, nem é preciso dizer que o tempo que ele passou lá fez com que o nosso pequeno protagonista perdesse completamente as esperanças. A propaganda na tv dizia que a casa de recuperação preparar as crianças para serem médicos, advogados e engenheiros. Acreditando nisso, a mãe do menino achou que estava fazendo o melhor pelo seu filho.A história foi completamente diferente.

Contudo, para a pedagoga francesa Margherit Duvas (Maria de Medeiros), que vem ao Brasil para o desenvolvimento de uma pesquisa, Roberto representa um desafio Determinada a fazer do menino o objeto de seu estudo, tenta se aproximar dele. O garoto em princípio reluta, mas, depois de uma experiência traumática, procura abrigo na casa de Margherit.O que surge entre os dois é uma relação de amizade e ternura, que porá em xeque a descrença de Roberto em seu futuro e desafiará Margherit a manter suas convicções.

O filme tem direção de Luiz Vilaça e é baseado na história do mineiro Roberto Carlos Ramos. Quem quiser saber um pouquinho mais sobre ele, pode acessar o site http://www.robertocarloscontahistoria.com/ , o cara tem um trabalho muito bacana. A produção do filme é assinada por uma grande e querida conhecida do público brasileiro , Denise Fraga, que inclusive já trabalhou com Luiz Vilaça no engraçadíssimo "Cristina quer casar". O contador de histórias foi rodado em Belo Horizonte, São Paulo, Paulinia e Portugal e tem a participação super especial da atriz franco -portuguesa Maria de Medeiros. Agora a história do contador de histórias será contada por uma turma muito competente, só gente grande.

O filme entra em cartaz em todo país no dia 07/08, mas a dica é: matem a curiosidade antes da estreia. Assim fica até mais gostoso reconhecer os cenários. Eu garanto que será uma deliciosa viagem ao mundo de uma produção com gostinho de realidade.

Exposição “O Contador de Histórias”
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618.
Local: Piso Higienópolis – Entrada principal
Data: de 01 a 13 de agosto
Horário: de segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos das 12h às 20h
Entrada gratuita

Me contem depois!

beijos

3 comentários:

Bruna Bernordi disse...

Ótima dica.
Pelo que li sobre o filme parece que é muito bom!

Bjos

joaopj disse...

Ei Leila, de maneira nenhuma saber mais informações sobre os filmes é coisa de NERD, o contrário sim é coisa de desleichado, preguiçoso e sem interesse, sabendo mais sobre o filme sabemos verdadeiramente o que estamos assistindo.

Somente assim podemos distinguir o que é bom do que é ruim, o que é arte verdadeira, e o que é entretenimento barato e burro(que também é legal as vezes).

Pra citar o cinema dos nossos hermanos argentinos, lá os caras dão tanto valor ao cinema de seu país que, se recusam assistir filmes e dar moral pra cineastas que usam o dinheiro público, os "blockbusters" argentinos, são constantemente boicotados popularmente, e os filmes independentes com históricos de dificuldade de produção e baixo orçamento, tem seu valor muito mais reconhecido.

Diferentemente do Brasil onde não existe cinema sem o dinheiro da Petrobras.

Quanto ao filme, ele é muito bom, esse Roberto é foda, e a Marguerith então, uma santa, rs

E viva, Roberto Carlos, Viva Luiz Vilaça, Viva Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Zé do Caixao e todos que fazem do Cinema Brasileiro, um retrato do nosso país e não apenas mais uma forma de corrupção.

João

Leila Ferraz disse...

Sensacional João! Sucesso! Eu concordo com você, completamente!

besos hermano!