22 de setembro de 2008

O destino pode ser fabuloso!



Olá pessoal. Após uma temporadinha sem post, olha eu aqui.
Pois bem, os motivos deste post são bem justos:
1º vou falar sobre o “Fabulo Destino de Amélie Poulain”
2º escolhi esse filme para homenagear minha amiga Leila, que completou algumas primaveras ontem.

O Fabuloso Destino de Amelie Poulain (Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain, 2001, França), está na minha lista TOP 5, sem dúvida nenhuma. A fábula conta com a excelente atuação da bela Audrey Tautou, que interpreta Amélie, uma jovem com vinte e poucos anos, que mora em um antigo apartamento em Paris e trabalha em um café. Amélie teve uma infância conturbada, sua mãe faleceu, seu pai era um médico extremamente frio e ela viveu bastante isolada.

Em um certo dia Amélie descobre por acaso uma caixinha antiga com pertences pessoais no azulejo da parede do seu banheiro, e resolve procurar pelo dono da relíquia. Após incessante busca ela consegue devolver o pertence ao antigo dono, que fica emocionado com o objeto. Neste momento o filme tem início, pois é a partir desta situação que Amélie passa a “aprontar” e apreciar ainda mais os pequenos prazeres da vida, ajudando pessoas, indiretamente.

Com gestos bonitinhos e misteriosos (atenção para a cena da capa do Zorro) a pessoa que ela mais beneficia é ela. Amelie não tem um amor, e suas relações foram frustrantes, eis que alguém especial aparece, mas ela nem ao menos sabe se essa pessoa é realmente especial, porém acredita muito nisso. É aí que entra a minha homenagem a Leila, que também é uma pessoa que acredita no amor a moda antiga, que tem um bom coração e talvez ajude indiretamente muitas pessoas, com suas histórias engraçadas e seu jeitinho meigo (vide joinha, *rs).

A trama é muito bem contada e as cenas vão ganhando sentindo com o decorrer do filme. Elementos surreais também aparecem, como um abajur em forma de porco que conversa com a protagonista. As armações que ela faz chegam a ser infantis, mas no final sempre acabam bem e você tem a sensação de que pode fazer algo pelo bem do próximo, nem que seja um abraço em um desconhecido. O que contribui para toda essa “aura” bonitinha é a bela fotografia, trilha sonora, e cores. Sim, eu disse cores, pois o filme trabalha muito com verde, vermelho e toque de azul, fique atento (a), no making off do DVD tem explicação sobre o assunto.

Dirigido por Jean-Pierre Jeunet, que também produziu Alien - A Ressurreição (dá pra acreditar?), Amelie agrada todos os que têm um bom coração, acreditam em sonhos e não desistem de viver pequenos prazeres diários, mesmo que seja comer torrada com nutella assistindo algo inútil na tv (puts, acabei de revelar um dos meus pequenos prazeres)

Beijos,
Bruna

4 comentários:

Leila Ferraz disse...

Puxa.... estou sem palavras, de verdade Bruninha. Você merece um abraço por isso!!

Obrigada pelo carinho querida e pode ter certeza de que a homenagem será retribuída e que a admiração é recíproca!

OBS.: o "jóinha" fica em off hein !

beijos

Maxwell Lord disse...

Amelie também está no meu TOP 5.Fotografia, edição, roteiro, interpretações, tudo perfeito Mas o que mais me cativou, além da Audrey Tautou, por beleza e simpatia, foi a trilha sonora composta por Yann Tiersen. Vale a pena ouvi-la sozinho ou acompanhado de sua pequena tomando um bom vinho. Algo do tipo se não vamos à França, trago a França até nós...
Bruna, mandou bem na sua resenha.

Helena disse...

Q linda declaração Bruninha!

Embora ainda não tenha visto o filme, achei super legal esse texto.

Quando eu crescer quero ser igual à Leila e ter uma amiga que faça uma homenagem assim.... hihihi

beijos

Evelyn disse...

Eu aaamooooooo esse filme!
Bjim :)