5 de fevereiro de 2010

Sherlock Downey Jr. Holmes

Com muito, mas muito atraso mesmo (por conta de uns amigos furões aí) eu fui ver o Sherlock Holmes (Sherlock Holmes, 2009) e na minha modesta opinião há tempos não se fazia um filme tão , digamos, movimentado sobre o detetive.

Longe de ser o personagem taciturno criado por Arthur Conan Doyle, o detetive de Robert Downey Jr. não resolve seus casos apenas fumando seu cachimbo e se valendo de seu extraordinário poder de dedução. O novo Sherlock sabe lutar, passa na mente todos os golpes antes de aplicá-los e tem um charme pra lá de irresistível.

Eu confesso não saber muito do personagem dos livros, não acompanhei as publicações mas isso não foi problema. Me apaixonei pela produção. A trama conta a jornada do famoso detetive londrino para resolver um possível caso de uso de magia negra. Inusitado para nosso herói já que , mais do que ninguém, ele é um cara completamente lógico, que se baseia em fatos apenas. Magia!? Nem pensar. Isso sem contar o fato de ele estar bem chateado pelo fato do seu fiel escudeiro estar prestes a se casar. Isso mesmo, nosso caro Watson vai abandonar Sherlock por uma vida pacata de casado.... será???

Com pitadas cômicas e muita competência do elenco, Guy Ritchie (aquele mocinho ex da Madonna, lembram??) consegue trazer pras telas todo o charme da Londres e ainda manter a sua marca registrada. Aquele ritmo incessante, estética frenética e muito (mas muito mesmo) sarcasmo.

Esse Sherlock, como eu disse, é bem diferente dos livros mas o poder de dedução se mantém ok, apesar das engenhocas usadas, escapadas fenomenais e as tiradas incríveis.

Jude Law convence e surpreende no papel de Watson, sabe lutar também e incorpora o jeitinho “sou bonzinho mas quero ser mal” do personagem.O doutor saiu da sombra do detetive há muito tempo! Rachel McAdams brilha como uma malandra amiga e dona do coraçãozinho do nosso herói. Enfim, o filme está recheado de personagens ótimos.

Ah, além disso tudo tem também o irresistível sotaque britânico do Robert, que empresta uma cara caricata ao Sherlock, vemos um cara meio perdido e extremamente simpático. Nada de prepotência ou “sei tudo, não me questione”. Os mais fãs vão ficar aguardando o habitual e famoso “elementar meu caro Watson”. Sinto desapontá-los mas esse jargão não será ouvido por nós , mesmo porque eu acho que isso em coisa do Herbert Ritchers né rs!

Super indico, mas aviso: não vá esperando coerência e semelhança literária ok. É diversão no melhor estilo blockbuster americano.

Ah, viva Guy Ritchie solteiro rs!

beijos

Um comentário:

Bruna Bernordi disse...

Preciso assistir.
A crítica falou mal, porém os comentários dos caros espectadores são positivos.
Gostei da resenha. Sotaque britânico é ótimooooo!