23 de dezembro de 2008

Um dia de fúria

Hoje eu preciso desabafar! Sim, é isso mesmo caro leitor .
No último fim de semana aconteceram algumas coisas que me deixaram bastante indignada.

1) Ligações de falsos seqüestradores continuam acontecendo. É isso mesmo, aquele povo que liga pedindo crédito para celular, dizendo estar com um parente seu como refém, ameaçando matar a qualquer momento, continua atormentando a paz dos cidadãos brasileiros. O que me abala é o fato de que os celulares continuam sendo usados nos presídios por esses marginais.

2) Você já comprou um produto nas Lojas Americanas e solicitou nota fiscal? Pois é, no momento da compra eles emitem apenas o cupom fiscal, impresso naquele papel que após duas semanas some tudo. Caso você queira a nota (direito do consumidor), precisa deixar seus dados com um colaborador que enviará para a Central “Americanas” e, após 15 dias, o estabelecimento entrará em contato para que o consumidor retire a nota na loja onde a compra foi efetuada. Como comprei um produto que tem garantia de um ano, terei que retornar, pois só com a nota fiscal poderei comprovar a data da compra, caso o objeto adquirido apresente algum defeito. No meu ver um procedimento nada prático e respeitoso.

3) No sábado fui ao show da Madonna, mas minha reclamação não é em relação ao show, mas aos cambistas que compraram milhões de ingressos e no dia venderam a preço de banana. Me senti bastante idiota por ter perdido algumas horas no telefone com a Ticket For Fun, ter pago um preço altíssimo pelo ingresso e não conseguir comprar Pista (local onde gostaria de ter assistido o show) e perceber que qualquer 30 reais me colocariam naquele Estádio em um bom lugar.

O que tudo isso tem a ver com filme?
Diretamente nada. Porém lembrei que há muitos anos assisti Um dia de Fúria (Falling Down/Estados Unidos/1993), com Michael Douglas. O filme conta a história de um desempregado, que revoltado com o mundo, vai ao encontro da ex-mulher e da filha e elimina qualquer pessoa que cruze o seu caminho.
É óbvio que uma pessoa normal não agiria de forma tão violenta, mas atire a primeira pedra aquele que em um momento de fúria não teve vontade de eliminar algo que estivesse realmente incomodando.

2 comentários:

joaopj disse...

É isso mesmo, DIA DE FÚRIA. Se pelo menos ficassemos um pouquinho indignados em 2009 e tentarmos transformar essa indignação em atitude, certamente nossos dias de furia se transformariam e dias mais dignos.

Walmor Salgado disse...

Muito orbigado por indicarem meu site... O link do site de vocês também está lá.

Eu sei bem o que é um dia de fúria... Todos os meus dias são assim.

Um aperto de mão do Walmor Salgado.
http://diariodeumrabugento.wordpress.com